segunda-feira, setembro 15, 2008

Agorafobia?...Oxigénio?

“Debates ao molho com sete intervenientes à volta de uma mesa são perfeitamente inúteis. Ou são sete monólogos em que sequencialmente cada um diz o que tem para dizer e quando alguém tenta dizer qualquer coisa, o moderador diz: não interrompa, por favor; ou o próprio diz: não interrompa porque eu também não o interrompi, quantas vezes não ouvimos isso? Ou falam todos ao mesmo tempo. (…)” Costa Neves no Telejornal da RTP/A, 13/09/2008, durante a apresentação da lista do PSD na ilha do Pico, onde o cabeça de lista não é presidente de câmara. É deputado europeu...

8 comentários:

Arthur J. Finkelstein disse...

Ah! Ah! Ah!

Maria das Mercês disse...

E será que repetiu a sua grande máxima de que os seus planos de governo vão DE ENCONTRO ÀS necessidades dos açorianos? É que mesmo só aos encontrões, não é?

Anónimo disse...

E daí? Qual é o problema?

Anónimo disse...

Pois
O melhor é por-mos o Dr. Costa Neves sózinho. A fazer monólogos com um entrevistador, à boa maneira do Dr. Mota Amaral.

Anónimo disse...

O melhor é fazer-se como nos tempos gloriosos do Dr. Mota Amaral.
Arranjar um debate com figuras secundárias e por o Dr. Costa Neves a fazer sózinho uma entrevista monólogo.

Saudosos tempos

H. Blayer disse...

O homem não deixa de ter alguma razão... É raro o debate (político-partidário ou não) com 5 ou 6 ou 7 intervenientes, que seja suportável. Habitualmente são pura perda de tempo e acabam em peixeirada pura. "ganha" quem for mais parecido com o Valentim Loureiro e conseguir falar tão ou mais alto do que os outros todos.

mariana disse...

É uma falta de consideração para com os outros partidos, no mínimo.

Anónimo disse...

o melhor cenário seria debates dois a dois, todos contra todos...