terça-feira, junho 03, 2008

o amor não é cego

O amor tinha óculos. A amada, não.
Um dia o amor perdeu os óculos e a amada desapareceu.

5 comentários:

Alfredo Gago da Câmara disse...

Moral da história: Vamos todos ao oftalmologista e compramos dois pares de óculos... Não vá o diabo tecê-las.

Anónimo disse...

Pena que o amor não use lentes de contacto...:p
bjs
afonso

Camões disse...

Já alguém disse que 'o amor é cego'... :)

Anónimo disse...

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís Vaz de Camões

Anónimo disse...

Fico admirado quando alguém, por acaso e quase sempre
sem motivo, me diz que não sabe o que é o amor.
eu sei exactamente o que é o amor. o amor é saber
que existe uma parte de nós que deixou de nos pertencer.
o amor é saber que vamos perdoar tudo a essa parte
de nós que não é nossa. o amor é sermos fracos.
o amor é ter medo e querer morrer.
José Luís Peixoto

:)----»--@