sexta-feira, agosto 10, 2007

Terra dos Barcos



Santo Amaro, Agosto 2007

É aqui que ando há alguns dias a "arrastar os pés". Páro sempre por aqui durante um mês. Penso mesmo, que não seria a mesma pessoa se, uma vez por ano, não viesse aqui "meter-me" debaixo de uma pedra. Venho aqui há muitos anos; tantos como os que tenho. Revisito alguns lugares e pessoas da minha infância.
Santo Amaro é a "terra dos barcos" como ternuramente (mas verdadeiramente!) costumamos chamar a este sítio, que, durante muitos anos fez nascer barcos como o "Pão dos Pobres", o "Pérola do Pico", o "Flor do Pico", o "Nossa Senhora da Saúde", o "Marujo", o "Castelete", o "Santo Amaro", o "Terra Alta" e outros.
"Santo Amaro sobre o mar", livro da autoria do professor Manuel Urbano Bettencourt, transmite neste título a imagem, que também tenho desta terra, onde não nasci, mas aonde passei alguns dos melhores momentos da minha vida.
No momento, em que escrevo, São Jorge vê-se inteiro, "de uma banda à outra" poisado no mar e a lomba verde que abriga Santo Amaro, como uma mãe a um filho, faz-me sentir bem, lembrando a música que aprendi muito cedo e que era daqui e que dizia que este sítio é um jardim à beira mar e que aqui moram os grandes lobos do mar... Não tenho nenhuma dúvida de que é assim mesmo. Também por isso cá estou e estarei sempre que puder ser.

4 comentários:

Azoriana disse...

Sigo os teus passos, desço a maré, vou até à canada que me viu muita vez, subo (entro nalgumas casas onde os abraços abundam), continuo andando, desço e vou até ao porto (páro para recordar o cumprimento do mar), sigo até ao centro (entro na Igreja e depois vou até ao cemitério - um ritual muito ternurento), dou mais umas voltas e depois abraço as gentes que me restam e cujo estima é recíproca.
Se estivesse aí, seria assim o meu percurso. Desta vez, faria tudo para obter o livro "Santo Amaro sobre o mar" e ficaria um bom bocado a conversar contigo...
Só não sei quando isto será realidade.
Vai dando notícias como esta e mais fotografias. Obrigada

Mariana Matos disse...

Quando chegar a São Miguel, vou procurar o livro e mando-to.
Beijinhos.

MCampos disse...

Para além, muito para além da ligação filial, existem outros afectos. Bonitos afectos.
Os Matos, eu sei têm muito dessa terra em si e de si nessa terra...e no mar e na história. E que estórias! Um bom desafio, o das estórias.
Já agora e por justiça, divulgue-se o museu privado do outro lado do porto, de um picaroto que casou com...uma micaelense.
Continuação de boas férias.

Anónimo disse...

A primeira edi�o de "Santo Amaro sobre o mar" andou j�. Comecei em Janeiro a tratar de uma reedi�o, espero que o pr�ximo Inverno me seja mais favor�vel.
Urbano Bettencourt