terça-feira, maio 30, 2006

Letra de olhar para Trás

T
É de Tudo
Todos
Tapar
Tipo
Tipificado
Pode ser de Tijolo
Tiro
(de espingarda)
Tiras o que não tiro, tiravas…
Tirei
Trago
(o fumo do cigarro)
Trago. Trazes?
Trouxe.
Troca
Trocas, troquei, trocava
(ai se eu trocasse, meu Deus….)
Troco
Troça
Torta
(de maçã)
Toca. Toca.
[Toc Toc
Tocam
(à porta)
Truz Truz
Trabalho. Trabalhas. Trabalhava
A Tralha
No Talho
Tarde
Tu
Tarouca
Tonta
(Entrei na roda. Tarde. Tarde.)
Tenda.
Tende.
Tino.
Tunísia
T letra de ficar para Trás.
Traz-me o T para arrumar!

1 comentário:

Carlos Barros disse...

tenaz..
(e)terno...


CONVITE- 7 de JUNHO LISBOA

Estão todos Convidados

Dia 7 de Junho O Autor Carlos Barros, a Corpos Editora e o Clube dos Jornalistas tem o grato prazer de convidar V.Exa., família e amigos para o lançamento do Livro - VAZIO DE CORES, no jardim do Clube dos Jornalistas, no dia 07 de Junho Quarta feira, a partir das 18 horas.
na Rua das Trinas, 127, -na LAPA- Lisboa

-Vazio de Cores- será apresentado por:

- PAULINO COELHO - Programa da manhã da Radio Renascensa.

- Ex Ricardo dePinho Teixeira


Será servido um "Copo".






Vazio de Cores


" Nem sempre o que parece é, nem sempre o que é parece. São os impasses da vida, ou nem por isso que nos fazem pensar em "coisas".

O ponto de partida destes contos foram quase sempre o nada, nada mesmo.

Cada conto saiu da imaginação que me faz viver e sonhar, mas partiu sempre da primeira frase, todos eles nasceram sem destino, mas com uma vontade muito própria, ganharam vida e vontades, grande parte das vezes de um enorme vazio de ideias, mas lá se arranjava um "espacinho" para conspirar e deambular, por mais uma "estória".

As minhas duvidas sobre a minha capacidade de inventar e construir, mantém-se intactas, adoro duvidar de mim, adoro ter dúvidas, adoro descobrir que ás vezes nem eu acredito em mim, isso faz de mim um perfeito idiota, ai fica mais uma duvida qual o idiota que eu sou!

Por isso são os nadas que foram passando pela minha cabeça que estão aqui retractados, bem ou mal, cabe a quem os lê avaliar, mas atenção…"