segunda-feira, junho 20, 2005

Ninguém põe um limite nesta autonomia?!?

Nas eleições para o parlamento regional da Galiza, das quais resulta a escolha do presidente da Xunta da Galiza, o PP terá que esperar pelo voto dos imigrantes para ver se consegue aguentar a maioria absoluta…

Espera aí!?! Voto dos imigrantes para o parlamento regional??!?? ?!? Como é que se identifica uma criatura dessas??? Como é que sobrevive o Estado Espanhol??? Que pouca vergonha é esta??!?? Ninguém põe um limite nesta autonomia?!?

…Se não conseguir a maioria absoluta poderá formar-se uma coligação entre o Partido Socialista e o Bloco Nacionalista Galego que deverão conquistar mais do que 15 dos 75 assentos parlamentares…

Espera aí!?! Partidos Regionais, há vinte anos, numa autonomia com vinte anos, e ainda por cima nacionalistas??!?? Que pouca vergonha é esta??!?? Ninguém põe um limite nesta autonomia?!?

Não me digam que nas Canárias também é uma pouca vergonha destas?!?

Só Deus sabe quanto me custa escrever isto mas, se calhar, os Açores e a sua Autonomia estariam melhor servidos com um Rei Juan Carlos do que com um Presidente Sampaio.

23 comentários:

Nuno Barata disse...

Eu já disse, várias vezes, que 1640 foi um erro colossal. Não m'acreditam!

João Pacheco de Melo disse...

E no País Basto também!

João Pacheco de Melo disse...

Nuno...

erro, por erro podias recuar até 1128 à Batalha de S. Mamede!

Nuno Barata disse...

Pacheco, envia-me um e-mail com o teu tel de casa, preciso de uma ajuda tua.
Desculpa lá ToZe usar o teu espaço para isso mas o Pacheco é muito dificil de apanhar.

João Pacheco de Melo disse...

O Pacheco só não usa telemóvel.
Mas o tel. está na lista.
Já enviei e.mail!

1 abraço

Caiê disse...

Ah... a Invasão agora dá-se por outras vias...

Rodrigo de Sá disse...

Erro por erro, antes Dona Urraca nunca tivesse casado :)

Rodrigo de Sá disse...

Eh lá, não fui eu que escrevi "nunca tivesse casado". Quer dizer, até fui eu, mas obviamente que queria dizer "nunca se tivesse casado".

Mariana Matos disse...

oh NB, isto aqui não é o 118. ;)

Eu gosto do Presidente Sampaio, caro primo.

TóZé disse...

Compreendo Mariana.
Mas ele tem limites...

Nuno Barata disse...

...muitos limites...

Nuno Barata disse...

...muitos limites...

gmarinho disse...

...como se o problema estivesse no inenarrável Presidente Jorge!Voltemos ao princípio, o que põe um limite a esta autonomia?

Nuno Barata disse...

Já respondi a isso tanta vez que agora não me apetece.

Caiê disse...

Se estes cidadãos nacionais queriam ser espanhóis, julgo que sabem que é hoje muito fácil mudar de nacionalidade...

(d....)

TóZé disse...

Esquecam o passaporte. Eu, neste caso, estava mais a falar na pessoa em si e no sistema político, républica vs. monarquia. Mas o Guilherme percebeu que o que eu queria na realidade era discutir os limites desta e da nossa autonomia.

Caiê disse...

Graças a D-us que pôs ordem no assunto! ;)

A nossa autonomia talvez não tenha necessariamente a ver com o sistema político mas sim com a conjuntura dele.

Julga que um rei nos daria mais previlégios?
Eu penso que não. Aliás os reis fazem o que lhes ditam, quase sempre, no mundo de hoje...

Portugal pós 25 de Abril é que é bem diferente da Espanha pós Franco. Julgo eu. Mas esta é a opinião de uma menina pequenina, sou novita... ;)

João Pacheco de Melo disse...

O problema não é o Rei, mas sim a roupagem que o envolve.

Entre um Rei Nú, mas de vistas largas e defensor de uma lata descentralização (para fujir do continente - europeu - estou a lembrar-me da Bermuda e do Reino Unido); por exemplo ......

...e uma Presidente "engomadinho" mas centralista - mesmo quando, sempre que lhe dá jeito, se diz descendente de açorianos -, pois viva o nudismo!

Caiê disse...

Acha o Reino Unido descentralizado? Estamos a falar de fugir da Europa ou de ser autónomos em relação ao poder central do país?

O Reino Unido concentra tudo na Inglaterra, que afoga a Escócia, P. Gales e a parte irlandesa. Agora, lá fugir com o rabo à seringa europeia fogem eles bem!
quando lhes interessa... quando não, estão hiper presentes.

Caiê disse...

Ui, escapou-me a outra parte... A Bermuda, não conheço o sistema. Mas tudo o que é Commonwealth deve "obediência" à Rainha, embora eles achem uma seca ter de prestar vassalagem, morando a kms de distância, de alguém que não faz ideia do que lá se passa!

E olha que custa muito mais manter uma Rainha e demais Família do que manter um Presidente da República! :)

João Pacheco de Melo disse...

A questão era exactamente UK vs Bermuda.

Mas compreendo a questão do centralismo "beef", tal como compreendo o IRA (não os seus excessos)!

Caiê disse...

Perdão, eu disse "olha" quando queria dizer "olhe"... confundo lamentavelmente estas pessoas do singular! ;)

João Pacheco de Melo disse...

Please!