domingo, maio 08, 2005

Palavras.

eu queria dizer tantas palavras. palavras tantas. queria escrever um livro inteiro de palavras tantas. minhas. mas as palavras não são de ninguém. são livres. e há palavras de tudo, palavras de nada. há palavras secas nos lábios, em filas de espera, como nos supermercados; palavras que ficam penduradas como as teias das aranhas. palavras tantas. há palavras doidas, outras esmorecidas, palavras consumidas, palavras acesas, palavras que, mortas, são lembradas no movimento dos braços num esforço, esforçado, de vingar o eco das ditas ausentes. há palavras de silêncio, palavras de choro, palavras de ter por perto, de espírito aberto, palavras acentuadas, palavras sombrias, rasgadas, perdidas.
há palavras errantes. palavras paradas no centro da alma. palavras que partem, palavras que ficam, palavras que vão, palavras que vêm. palavras que ardem. palavras de mares, palavras de matos, palavras de mãe, palavras de pai. há palavras reluzentes, palavras baixinhas, palavras nas pontas dos pés, palavras em escadotes, palavras que trepam, palavras que descem. há palavras tantas. palavras trocadas por palavras. palavras vestidas de palavras. palavras em palavras, palavras por palavras, palavras com palavras, palavras de palavras. palavras. as palavras com que tu falavas. palavras tantas. palavras. pa(i) lavras.

3 comentários:

Caiê disse...

Gostei muito destas palavras, menina. :)

E vou remeter-me ao silêncio, estou oca hoje. lol

Francisco disse...

Um verdadeiro arde e mar de palavras! :)

Anónimo disse...

Keep up the good work »