quarta-feira, abril 27, 2005

Poema dos Náufragos Tranquilos


Pico

Somos herdeiros dos quatro ventos
Sem uma vela para lhes dar
Temos amarras e temos lenços
Num cais de pedra para acenar.

Somos herdeiros da maresia
Que salga os olhos de olhar o mar
E temos rios de lava fria
Que se recusam a desaguar.

Somos herdeiros de uma lembrança
de tesouros afundados
e arpoamos a esperança
na nossa morte reclinados.

somos herdeiros de um rombo aberto
no nevoeiro secular
tranquilos náufragos do incerto
vamos morrer no mar.


Emanuel Félix

2 comentários:

Andre Bradford disse...

Sinto-me perfeitamente retratado neste poema. Amen!

Maresia disse...

A foto é bem gira!
Beijinhos